05 fevereiro 2006

A ofensa aos muçulmanos

(Protestos em Gaza, ontem.)
Não concordo com a violência que muçulmanos de todo o mundo estão a utilizar como forma de protesto pela publicação de desenhos ofensivos sobre Maomé em jornais dinamarqueses, noruegueses e franceses, pelo menos – mas compreendo-a.
Sempre achei que a liberdade, e em particular a liberdade de expressão, deve ter limites. Muitas vezes estes confinam com questões de bom senso, como não ofender as crenças de outrem (o que é diferente de as discutir), valores e símbolos pátrios, etc.
Também sei que muitos imigrantes muçulmanos se comportam nos países de acolhimento com uma arrogância que só por si justificaria a expulsão. Mas, no caso em apreço, a maior contestação dá-se efectivamente em países muçulmanos.
A Europa parece divertir-se muito quando se goza com os símbolos cristãos (na base da qual está a própria Europa, unificada por uma crença comum, que delimitou durante séculos a própria fronteira do continente), galardoando obras como "A Última Tentação de Cristo" ou "Je Vous salue Marie". Não digo que não deva ser permitido produzir essas obras mas o contraste entre a bonomia com que elas são encaradas e a sensibilidade à flor da pele sempre que supostamente se ofende uma minoria é gritante, numa demonstração de masoquismo impressionante das nossas sociedades. E se formos falar em certas "crenças" históricas, sobre as quais até nem é permitido fazer uma abordagem minimamente crítica, então temos bem uma ideia de como os europeus desistiram de defender os seus próprios valores, a sua própria liberdade, numa palavra: a sua dignidade. Coisa de que os muçulmanos, por meios aceitáveis umas vezes, condenáveis noutras, nunca desistirão. E é isso que também está em causa com toda esta polémica.

4 Comments:

Blogger SA said...

é uma guerra de civiliações. nós já destruimos em grande parte a nossa, agora queremos destruir a deles. mas que eles tenham esta atitude é que é inaceitavel. regularem a sua liberdade é uma coisa, mas quererem enclausurar a nossa é invasão.
enfim, tudo males da revolução francesa...

05 fevereiro, 2006 18:58  
Blogger Vanguardista said...

Para mim isto não tem nada a ver com liberdade de expressão. Na nossa terra, gozamos com quem quisermos e não são estes tipos que nos vão dizer o que podemos ou não fazer. Como disse o comentador SA, isto é invasão.

05 fevereiro, 2006 19:26  
Blogger miazuria said...

Exactamente, vanguardista, tocou no cerne da questão.
Aliás,quando se fala liberdade de expressão, estou muito próximo dos libertários, liberdade total para criticar e comentar o que quer que seja, incluindo "vacas sagradas", como o tema do holocausto, por exemplo.
Se alguém não concorda, pegue na caneta e no computador e responda, ou em alternativa leve às instâncias judiciais.

06 fevereiro, 2006 15:57  
Blogger maria said...

dignidade! qual dignidade? matar em nome de deus? sete virgens no paraíso e muitos na terra com pouco juízo! Qual é o mal dum desenho duma cabeça em forma de bomba? o mal são as bombas verdadeiras a explodirem em cabeças verdadeiras! Aos adoradores fanáticos de Deuses desejo eu que renasçam porque ainda vivem a vida de Outro qualquer....

06 fevereiro, 2006 23:28  

Enviar um comentário

<< Home