16 dezembro 2005

Os depuradores

Andam por aí uns meninos que se dizem nacionalistas a difundir umas ideias muito curiosas. Premissa: o Norte é etnicamente diferente do Centro e Sul (sobretudo deste), dado o maior substrato céltico e germânico. Consequência prática: divisão do país ou associação do Norte à Galiza, separando-se do resto de Portugal.
Este blogue não é o local indicado para longas dissertações sobre a estrutura étnica do povo português. Para uns ela é mais ou menos homogénea de norte a sul, para outros há diferenças grandes de região para região. Mas estamos a falar do povo português. Se é mais ou menos caucasóide aqui ou acolá, é o nosso povo. Mais uma vez se prova que certos auto-denominados racialistas, ao levarem às últimas consequências as suas ideias, chegam ao extremo de odiar o seu próprio país e a sua gente, que deveriam supostamente defender e amar dado que se intitulam nacionalistas.
Dois escritores que muito prezo caíram na mesma atitude. Céline chegou a propor que a França se “desfizesse” dos “narbonnoïdes”, entendendo estes como os franceses de origem mediterrânica. Drieu la Rochelle sonhava com uma França etnicamente nórdica. Em ambos os casos, o etnicismo levado às últimas consequências implicaria a divisão do próprio país e a discriminação entre “bons” e “maus” franceses.
Marcel Aymé, no advento do nazismo, caricaturizou esta atitude num conto que narrava um encontro de nacional-socialistas; estes iam encontrando entre a multidão indivíduos com traços menos arianos, que eram destinados à purga. No final do conto, resta um sujeito que, arrancando o próprio braço, brada: «depuremos»!
Recentemente, vi um membro da Lega Nord afirmar que «quando chego a Florença sinto que já não estou em Itália». No nosso país, que adora importar modas, temos agora aqueles que clamam que a região a sul do Mondego não deve fazer parte de Portugal. Depuremos!

20 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Esos nazi- onalistas portugueses quieren una España débil.....¿Y un Marruecos fuerte ?

16 dezembro, 2005 17:31  
Blogger O Corcunda said...

São os mesmos que andam sempre a utilizar a cartilha socialista-comunista (alienações, capitalismos, ópios do povo, redistribuições, desprezo pela tradição do seu povo), que vêem na ETA e nos nacionalismos-socialistas galegos um exemplo!
Vivem num país imaginário que nunca existiu... Nunca Portugal foi habitado por uma comunidade fisionómica única! E mesmo que tivesse sido! Tal facto seria irrelevante, uma vez que isso nada explica sobre a forma como "deve ser"! Nem os nossos antepassados se viam como portadores de uma raça... Viam-se como portadores de um "logos"!
Estas concepções são tão próximas do nacionalismo português tradicional, quanto as teses dos Louçãs ou o anti-federalismo do Jerónimo de Sousa e do Garcia Pereira...
Se serão teses nacionalistas não sei, uma vez que não acredito o próprio nazismo fosse nacionalista!
Portugueses (inseridos numa ordem histórica-tradicional que permite a auto-compreensão do Homem e comunidade) não serão certamente...

16 dezembro, 2005 17:34  
Blogger JSarto said...

Ao que chega a estupidez de alguns adeptos de um certo clube de futebol... Estou mesmo a vislumbrar a criatura que defende tal tese...

16 dezembro, 2005 18:16  
Blogger Suevo said...

Ena, tanta comichão...

Esteja descansado, não tenha um ataque cardiaco, eu já me desmarquei totalmente do nacionalismo.

Até já lhe dediquei um post para ficar esclarecido.

Em relação ao Corcunda, continuas um comico, já não lia nada teu há muito tempo.

A ETA é um exemplo? Só se for para ti :)

Em relação a tradicionalismos historicos e tal, vejam o que dizem os historiadores, e ate podem incluir o jose hermano saraiva, leiam o que dizia Afonso Henriques dos moçarabes, talvez tenham uma surpresa (ou não).

jsarto vê lá se não és excumungado um dia destes :)

Tenham calma jovens :)

16 dezembro, 2005 22:18  
Anonymous Anónimo said...

Francamente FG Santos...depuremos!
~Tempos de antena nesta sua casa, foda-se!
Eles que vão p'ro caralho, juntamente com os invasores e os traidores que escancararam as portas da EUROPA, porque de uma vez por todas acho que é da EUROPA que se deve falar. O resto é tribalismo.


Legionário

16 dezembro, 2005 22:24  
Blogger Suevo said...

Realmente o tempo de antena era dispensavel, se apagasses o post até nem era má ideia, digo eu.
Então agora é Europa Vs tribalismo e estas-me a dizer isso a mim? Usando o teu estilo de linguagem "Foda-se",algum idiota que ler isso até pensa que há racialistas que não são pela Europa, usando a tua linguagem, "caralho", nunca pensei ver os tradicionalistas-nacionalistas a defender a europa, parabens pela vossa evolução!

Ou seja se falarem de Portugal é tribalismo, haja coerencia nestas mentes! Agora é a Europa... LOL

16 dezembro, 2005 22:34  
Anonymous Anónimo said...

Japmg está cagadito de miedo....!

17 dezembro, 2005 08:57  
Anonymous Anónimo said...

Efectivamente, es ridiculo poner asuntos etnicos por encima de los hechos historicos, de las costumbres, de la cultura, etc. La raza no define una nacion. Los racialistas son materialistas y deterministas, exactamente como los comunistas. La tremenda imbecilidad y gilipollez de pensar que se es superior por ser mas rubio o mas alto no merece comentario. La soberbia de quienes se creen superiores por pertenecer a un cierto grupo etnico, menos todavia.
No me agradan nada estos que pretenden trocear y partir las Patrias ya seculares para dar rienda suelta a sus suenos morbidos.
!Viva Portugal!
Rafael Castela Santos

17 dezembro, 2005 12:05  
Blogger Suevo said...

É curioso ver os castelhanos tão assustados, castelhanos esses que actualmente se colam aos nacionalistas tradicionalistas monarquicos portugueses, quando sempre foram considerados por esses tradicionalistas o principal inimigo. Ver os monarquicos lado a lado com os castelhanos é obra! Quando lhes convem até esquecem Olivença e tudo!


E depois vêm lançar a confusão, quando o que é defendido é precisamente a cultura e a verdade historica, não é SÓ a raça, digo não é SÓ a raça, mas também é a raça!
Para terminar ser-se diferente não significa que se seja superior ou inferior, para mim a igualdade não passa num mito!
Eu podia usar o mesmo argumento e dizer que alguns se sentem superiores e desciminam quem não é Catolico, mas não vale a pena.

No fundo estes imperialistas castelhanos não passam de Iberistas, mas não o assumem por razões tacticas, o resto é conversa fiada.

17 dezembro, 2005 15:19  
Anonymous Anónimo said...

Creo que a japmg le vendrian bien unas grandes dosis de haloperidol. Es un medicamento de probada eficacia para los delirios persecutorios y las alucinaciones.
!Pobrecillo ... tan "coitadinho" el!
Rafael Castela Santos

17 dezembro, 2005 16:30  
Blogger miazuria said...

Gorra Euskal-Herria!
Viva Catalunya Lliure!
Viva Galicia/Galiza livre!
Viva la unión de todos los pueblos y patrias carnales de Europa!

Abajo los "nacionalistas" que sufren de las espaldas (los corcundas ideológicos) y sus primos de Castilla Imperial,(por supuesto que no hablo de cerveza).

Estos son aquellos que afirman la "hispanidad" de los bolivianos de la coca, los chollos de registro chavez y de todos los ecuatomonos!
Están con todos los corcundas de Portugal, los mismos que dicen que sus hermanos viven en la savana, en la "temba" y en la "sanzala". Les gusta, también, el aprendizaje del bakongo, makua,bijagó, etc.
Creen que el português del futuro, del porvenir, dejará de ser latino y será "crioulo"

VIVA EUROPA Y SUS BLANCOS PUEBLOS!

19 dezembro, 2005 16:29  
Anonymous Anónimo said...

Outra vaca nacionalista no milho....! Eramos pocos y parió la abuela.....!

19 dezembro, 2005 20:14  
Anonymous Anónimo said...

¡Viva España! ¡Viva Castilla!

19 dezembro, 2005 23:39  
Blogger miazuria said...

Cuál Espana????

Abajo el imperialismo castellano, sediado en Madrid!

Que vivan los Pueblos de Iberia!

El "logos" de la corcunda tiene su lugar en la mundovisión bantu!

20 dezembro, 2005 11:57  
Anonymous Anónimo said...

Miazuria....hablas un español muy raro....! ¿De dónde eres?

20 dezembro, 2005 13:25  
Blogger miazuria said...

Es muy probable que no sepas, o no conozcas los significados de "logos", "bantu", "sanzala","temba","bijagós", etc. Tranquilo, tranquilo, que no es castellano. No te enfades muchacho....
A lo mejor no estás acostumbrado a leer y compreender algunos de los neologismos llegados de áfrica ya introducidos , por desgracia, en la lengua lusitana,y también te olvidas de los vocábulos sudacas en tu propio idioma: el castellano.
Espanol, del punto de vista linguistico, no existe, es una invención politica, una construcción histórica con objetivos politicos e ideológicos.
Podremos hablar de lenguas o idiomas del estado de Espana, pero jamás del "espanol",por favor, más respeto por el Gallego, por el Euskera y por el Catalá...
(no pongo los acentos gráficos de tu idioma porque ellos no están en mi teclado, entiendes?)

Gorra Europa zuria eta herritarok zuria!

Ez dut ulertzen?

21 dezembro, 2005 11:31  
Anonymous Anónimo said...

Eres Galarza ?

21 dezembro, 2005 11:53  
Blogger miazuria said...

NO!!! Soy ETA!
(No te asustes hombre!)

EUROPA TA ASKATASUNA!

27 dezembro, 2005 11:35  
Anonymous Anónimo said...

Nada te turbe, nada te espante....(Santa Teresa de Avila)

28 dezembro, 2005 02:04  
Blogger miazuria said...

También tienes ahora sueños místicos con Teresa de Avila?
El pobrecito ahora está muy mal...

28 dezembro, 2005 11:36  

Enviar um comentário

<< Home