03 dezembro 2005

A entrevista de Le Pen à BBC

Ao acaso de um “zapping” antes de jantar, assisti em Bilbao à entrevista de Le Pen à BBC que tanta polémica está a dar.
A minha opinião é que mais uma vez se faz uma tempestade num copo de água. O líder da FN abordou os tumultos de Paris, referiu que todas os dias arde uma centena de automóveis em França, ou seja, aquilo que os media e os políticos do sistema referem como um regresso à calma, representa nada mais nada menos que quase 40.000 viaturas queimadas por vândalos a cada ano que passa!
Para indignação do ridículo entrevistador (que teve sempre aquela expressão de quem está extremamente incomodado por estar na presença de “tal personagem”), Le Pen lembrou o óbvio: que a grandíssima maioria dos crimes cometidos em França é obra de imigrantes. Também indignou o “impecável democrata” ao dizer que não é racista, que respeita os outros povos, mas que prefere o seu! Grande crime, este.
Le Pen foi ainda acusado, completamente fora de contexto, de ser um racista e um anti-semita. Quando não há argumentos recorre-se ao insulto gratuito. Que recurso “republicano” restava ao energúmeno, depois de Le Pen ter referido que já nos anos 50 tinha nas suas listas eleitorais negros e árabes? Reafirmou que nada tem contra a presença desses povos no seu país, desde que em número relativamente reduzido. (E outro facto, pouco conhecido, daria ainda mais força à sua argumentação: há três décadas colaborou na edição de um disco de música tradicional judaica.)
Finalmente, a questão do “point de détail”. Le Pen repetiu a famosa frase de que “as câmaras de gás são um pormenor [ou um detalhe] da Segunda Guerra Mundial, nem Churchill, nem de Gaulle, nem Estaline as mencionam nas suas memórias”. Embora haja alguma provocação, a frase, se não retirada do contexto, significa que no meio do horrror da II Guerra, com crimes cometidos por todas as partes em conflito, o drama judaico será mais um no meio de muitos. É, a meu ver, uma forma (que se presta a polémica, necessariamente) de afirmar o que devia ser óbvio: que não há povos mais merecedores do que outros de compaixão quando se fala de morte e desolação no grande conflito mundial. Pecado, portanto. E como hoje em dia certos “pecados” são tratados em tribunal, o sr. Le Pen pode já contar com mais umas sessões lá passadas.

9 Comments:

Blogger Rodrigo Nunes said...

Subscrevo por completo esta análise, excepto aquele pormenor do "recurso republicano".

03 dezembro, 2005 17:55  
Anonymous Mendo Ramires said...

Independentemente de poder ainda vir a Vencer em vida - já nas próximas Presidenciais -, Jean-Marie Le Pen será recordado, na História, como um Homem Político que teve razão antes do tempo (que é como quem diz: antes da Fraça mergulhar no completo Caos!).

03 dezembro, 2005 18:10  
Blogger alex said...

"... já nos anos 50 tinha nas suas listas eleitorais negros e árabes?"

Só pode estar a brincar...
Isto é verdade?!?!?!?

É que, a ser verídico....é, para mim,completamente incompreensível.
Seria a mesma coisa que haver adeptos de Hayek nas listas de um partido marxista-leninista, ou que o Michael Moore e amigos fossem nomeados para a Administração Bush.

Não sei....digo eu.....

"... o drama judaico será mais um no meio de muitos."

Certo.

"...não há povos mais merecedores do que outros de compaixão..."

É verdade. Concordo totalmente.
Mas, de qualquer forma, se jerónimode Sousa viesse dizer que o Glavnoie Upravlenije Lagerei foi um 'detalhe'...também não lhe ficaria lá muito bem.

"...há três décadas colaborou na edição de um disco de música tradicional judaica."

Este Le Pen é uma caixinha de surpresas.
Um dia destes a Front National (para desgosto de alguns) vai fazer o que fez o Vlaams Belang. :))

04 dezembro, 2005 02:21  
Anonymous Eurico de Barros said...

Por causa da dita entrevista, o Le Pen já tem um novo processo em cima por parte de organizações anti-racistas e do "afamado" LICRA controlado pelos judeus. E já agora informo o Buíça que numa das minhas últimas idas ao Festival de Cannes, entrei em contacto com um negro, dirigente do Front Nacional na zona da Riviera francesa.

04 dezembro, 2005 03:12  
Blogger PlanetaTerra said...

///

--- Mendo Ramires said:
" Jean-Marie Le Pen será recordado, na História, como um Homem Político que teve razão antes do tempo (que é como quem diz: antes da Fraça mergulhar no completo Caos!) "

TOTALMENTE ERRADO!!!!

--- Jean-Marie Le Pen é tão somente mais um NACIONALISTA TRAIDOR!!!!!!

---> O Trabalho de um Nacionalista Europeu NÃO É andar por aí aos berros "Traidores, Traidores, Traidores"!!!!!!

---> O Trabalho de um Nacionalista Europeu É - ISSO SIM - procurar criar as condições para que, no futuro, os Nativos Europeus - interessados na Sobrevivência da sua Identidade - possuam capacidade de Auto-Defesa na Luta pela Sobrevivência no Planeta!!!!!!

---> Nacionalistas, vocês acham que os Mestiços são de confiança??? ( nota: observe-se, por exemplo, aquilo que os Mestiços Brasileiros têm feito às Reservas dos Índios da Amazónia... )
---> Nacionalistas, vocês acham que os Muçulmanos são de confiança??? ( nota: observe-se, por exemplo, aquilo que aconteceu em Paris 2005... )

---> Nacionalistas, atendendo à evolução demográfica..., vocês acham que a MINORIA de Nativos Europeus - que está interessada na Sobrevivência da Sua Identidade - deve ser TRAÍDA...ABANDONADA... E FICAR À MERCÊ dos Mestiços e dos Muçulmanos???

---> COMO É ÓBVIO, só existe um caminho a seguir: o SEPARATISMO!!!!!!

NOTA:
--- Como é que uma MINORIA Demográfica se deve defender duma MAIORIA Demográfica?
-> Observe-se o caso dos Israelitas face aos Palestinianos:
-1- É necessário um Território [ nota: os Nativos Europeus devem constituir Estados Reserva Natural ]
-2- Devem ser construídos Muros de Separação...
-3- Devem ser implacáveis... para com aqueles que passarem ilicitamente as Fronteiras...
-4- Devem dotar-se de Armas de Alta Tecnologia [ nota: os Estados Reserva Natural devem formar uma Aliança Defensiva... envolvendo Armas Nucleares... ]


--->>> Combate a Ditadura do Parasita Branco!
--->>> Combate a Mega-Intolerância!
--->>> Reivindica o LEGÍTIMO Direito ao Separatismo!
--->>> ver-> http://divisao--50--50.blogspot.com/
--->>> Movimento Tolerante ' Planeta Terra SIM! Exploração Agro-Pecuária NÃO! '

///

04 dezembro, 2005 19:58  
Blogger alex said...

"... numa das minhas últimas idas ao Festival de Cannes, entrei em contacto com um negro, dirigente do Front Nacional na zona da Riviera francesa."

Isso não é nada, caro Eurico.
Eu estou, neste momento, em videoconferência com Montgomery-Alabama, onde se encontra o meu in terlocutor, o sr.Makumba Karamba-dús-Kizomba, novíssimo líder do Ku-Kux-Klan!
O sr.Kizomba está a apresentar-me o novo hino do Klan, chamado: Ás-Tilongá-dús-Milónga-dús-Kabulétê.
Os slogan do Klan será:

Máriquinha, vem comigo p'rÁngola

e soube ainda que a próxima festa do NPD, em Berlim, terá como artista convidado: Bonga.

Como o Eurico vê, entrevistas é comigo.


ps: LICRA conheço.
É aquele material que constitui alguns 'collants' que o mulherio usa.
Oh, como adoro Pantyhose!

:)

05 dezembro, 2005 00:18  
Anonymous Anónimo said...

Só não vê quem é cego. O homem aparece sempre nas televisões acompanhado de um "mulato" que pertence ao movimento.

E a extrem-direita de Israel é nazi?

05 dezembro, 2005 10:02  
Anonymous Eurico de Barros said...

Ó Buíça, o que tem a ver a FN com o KKK? Francamente, você já parece aqueles esquerdalhos que diziam, «Sim, o Estaline era muito mau, mas o Pinochet também é»...

05 dezembro, 2005 19:58  
Anonymous Anónimo said...

Oh Buiça, faça lá uma pesquisa no google por Stephane Durbec...

NC

06 dezembro, 2005 23:23  

Enviar um comentário

<< Home