12 novembro 2005

Pânico?

Aquando da I Guerra do Golfo muitos portugueses acudiram em pânico aos supermercados para se aprovisionarem em bens essenciais mais duradouros, como arroz, massas, conservas em lata. O que levou muitos dos nossos conterrâneos a ser tomados pela histeria de uma ameaça potencial ao nosso país é um mistério, explicável talvez apenas pelo grande destaque mediático que a situação no terreno estava a ter desde que as tropas de Saddam invadiram o Koweit. Eu, que à época ainda andava todos os dias de transportes públicos, fiquei surpreendido pelos detalhes que as pessoas conheciam: das forças militares no terreno, das opções que se punham à Arábia Saudita e outras questões que uma população geralmente satisfeita por conhecer o que se passa intra-muros não costuma explorar.
Após o 11 de Setembro de 2001, em particular depois da histeria (mais uma) com o antrax, “alguém” encontrou um pó suspeito em Algés. Teriam os émulos de Bin Laden preparado alguma patifaria pelas bandas da Marginal?
E agora, que parece haver indícios (enfim, segundo o “Expresso”...) de Portugal estar na rota terrorista islâmica, como vão reagir os portugueses? Possivelmente com indiferença, que com tantas ameaças não concretizadas o povo já encolhe os ombros. Numa altura em que se calhar devia andar mais alerta. Talvez o vetusto candidato a PR até tenha razão e devamos «dialogar com aqueles que nos são estranhos» (um eufemismo espantoso)?...

2 Comments:

Blogger Paulo Cunha Porto said...

A história de «Pedro e o Lobo»?

12 novembro, 2005 20:42  
Blogger F. Santos said...

Nem mais, caro amigo.

12 novembro, 2005 21:55  

Enviar um comentário

<< Home